Projetos RoboBraille

A equipa RoboBraille está constantemente empenhada em vários projetos a nível nacional e internacional, com o objetivo de melhorar o serviço em termos de qualidade, funcionalidade e idiomas suportados. O objetivo é criar um suporte ilimitado de material acessível para todos, em qualquer lado onde haja necessidade. Atualmente, estão ativos os seguintes projetos: 

Prosperity4All (2014-2017)

Durante os próximos 4 anos, Prosperity4All trará uma abordagem holística ao design para a criação de uma infraestrutura que permita o crescimento de um ecossistema, que ajude a gerar um meio diverso de opções que tragam uma diversa população de populações para o futuro digital. Inclusão digital “Tamanho Único”. Através da Sensus, o RoboBraille faz parte deste projeto.

Mais de 2 biliões de pessoas em todo o mundo possuem diversos tipos, graus ou combinações de deficiência, literacia, literacia digital ou barreiras relacionadas com a idade que impedem ou dificultam o uso das TIC. Até há bem pouco tempo, podia-se viver relativamente bem sem acesso às TIC. No entanto, hoje em dia, o acesso às TIC é necessário para a educação, emprego, comércio e aumenta também a necessidade para viagens, saúde, segurança, atividades da vida diária e participação na sociedade. Mas atualmente ainda só se chega a 3 a 15% destas pessoas – nos países desenvolvidos. Não podemos continuar a admitir social, económica e politicamente que exista esta cumulativa e larga percentagem da nossa sociedade offline. No entanto, não há maneira de chegar até eles seguindo o atual modelo.

Mais informação está disponível no site do projeto em http://www.raisingthefloor.org/prosperity4all/

O projeto é financiado pelo 7º Quadro Comunitário da Comissão Europeia.

RoboBraille Smart Alternate Media (2013-2015)

O objetivo do projeto é explorar os novos métodos, mais fáceis e “inteligentes”, de preparação e produção de materiais educacionais em formatos alternativos (por exemplo, braille digital, áudio livros, e-books e outros documentos acessíveis), usando o RoboBraille e outras ferramentas relevantes gratuitas das TIC, promover a formação de professores, pais e profissionais produtores de media alternativos que apoiem pessoas com deficiência visual e dificuldades de leitura para utilizarem este tipo de métodos e ferramentas. O RoboBraille é um serviço gratuito, galardoado com diversos prémios, capaz de converter automaticamente documentos em formatos alternativos.

Ao longo do projeto, parceiros de diferentes localizações da Europa irão colaborar para recolher informação e criar um curso completo de formação que compreenda atividades de formação, materiais para o curso e um conjunto de metodologias e tecnologias testadas. Os países participantes incluem a Dinamarca, Irlanda, Hungria, Polónia, Roménia e a Áustria.

O curso de formação estará pronto a implementar por toda a Europa numa base de currículo cruzado e poderá melhorar a qualidade da educação dirigida a estudantes com dificuldades de visão e de leitura pela oferta de ferramentas e métodos apropriados para a preparação e criação de material educativo em formatos alternativos de uma forma eficiente, fácil e rápida.

O projeto é financiado pela Comissão Europeia através do Programa Aprendizagem ao Longo da Vida, no âmbito do programa “Leonardo Da Vinci”. 

Synthetic Greenlandic Voice/RoboBraille Greenland (2013-2015)

O desenvolvimento de uma voz sintética Gronelandesa é parte de um projeto maior conduzido pela Synscenter Refsnæs em colaboração com outas partes interessadas chave, na Gronelândia. Com o apoio do Governo da Gronelândia e da Associação de Municípios da Gronelândia, o projeto inclui 3 entregáveis:

  1. O desenvolvimento de um sintetizador de voz Gronelandês gratuito para quem precise. O sintetizador de voz estará diretamente disponível para utilização em conjunto com uma ampla gama de tecnologias facilitadores de base TI. 
  2. O desenvolvimento e implementação do equivalente Gronelandês do pacote TIC-Dinamarquês RoboBraille in a Greenlandic context. RoboBraille is a free service that can convert educational material and other textual material into a range of alternative formats including mp3 files, digital .

 

RoboBraille Central Europe (2012-2015)

Implementação do serviço Robobraille na Bulgária, Hungria e Roménia. O projeto é implementado em colaboração com uma rede de organizações parceiras na Bulgária, Hungria e Roménia, e com o aval dos governos dos três países. O projeto tem os seguintes objetivos principais:

  1. Facilitar a inclusão de alunos cegos e com baixa-visão em escolas primárias regulares, garantindo que os conteúdos curriculares estejam disponíveis atempadamente em formatos alternativos
  2. Melhorar a qualidade da educação secundária de alunos cegos e com baixa-visão garantindo a disponibilidade de conteúdos curriculares adequados em formatos alternativos, desta forma traçando o caminho para que cada vez mais alunos com deficiência visual prossigam os estudos.
  3. Apoiar o desenvolvimento de práticas educativas para disléxicos (1) garantindo que os conteúdos curriculares em formatos alternativos são disponibilizados atempadamente e a custos controlados; e (2) desenvolvendo um catálogo de boas práticas para ensino de disléxicos

O projeto é suportado por uma bolsa das Fundações VELUX.

RoboBraille for People with Low Vision (2012-2014)

O objetivo do projeto é explorar como os tablets podem ser usados para apoiar na leitura as pessoas com baixa-visão. O projeto está dividido em três atividades de desenvolvimento distintas:

  1. Desenvolvimento de um leitor de ebooks configurável para baixa-visão em termos de ampliação, contraste, tipos de letra e cores de texto e de fundo.
  2. Desenvolver uma solução para transmissão (streaming) de conteúdos de quadros interativos para tablets na sala de aula.
  3. Desenvolver uma aplicação para iOS e Android que agregue informação, análises, avaliações e histórias de casos relativos a apps adequadas e úteis para pessoas com problemas de visão.

O projeto é suportado por uma bolsa da Fundação Tryg

RoboBraille in Education (2011-2013)

O objetivo principal do projeto foi explorar, desenvolver e comparar o uso do serviço do RoboBraille como uma ferramenta educacional para professores e outros educadores (profissionais da deficiência visual) que trabalham com alunos com dificuldades visuais ou de leitura (escolas primárias, ensino de formação profissional bem como ensino superior).

Através da colaboração internacional, os parceiros do projeto da Dinamarca, Irlanda, Reino Unido, Itália, Hungria e Chipre identificaram e exploraram as vantagens educacionais usando o serviço no ensino de alunos com necessidades especiais. Os profissionais da deficiência visual têm alguma dificuldade em aperfeiçoar os métodos de ensino para incluir novas TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) e assim melhorar a qualidade do ensino. A parceria e os seus grupos de trabalham possuem uma variada gama de conhecimentos - educadores, professores, professores de educação especial, professores universitários, investigadores, consultores privados, em conjunto com os utilizadores da organização – e irão explorar várias maneiras do serviço RoboBraille poder ser usado pelos profissionais da deficiência visual para apoiar os alunos na sua educação. Para qualquer um dos alunos com dificuldades visuais ou de leitura e os seus professores, a obtenção de material escolar de alta qualidade é um grande desafio. Portanto, a parceria procurou explorar as possibilidades, fazer sugestões e desenvolver práticas mostrando como superar estes desafios, apoiando assim a implementação da Declaração das Nações Unidas de Direitos para as Pessoas com Deficiência em todos os seus estados membros.

O objetivo do projeto foi reunir e desenvolver novos conhecimentos sobre como o RoboBraille pode ser usado para apoiar a educação dos alunos com deficiência visual e dificuldades na leitura. Através de vários workshops, as novas práticas e conhecimentos dos participantes no desenvolvimento do projeto, podem ser aplicadas diretamente no sistema educacional por toda a Europa, (i) apoiar a integração da Deficiência Visual no sistema da ensino regular; (ii) para promover a qualidade da educação da Deficiência Visual num ambiente regular; e (iii) para estabelecer boas práticas quanto à forma dos professores poderem usar informação tecnológica como o RoboBraille para conhecer estes objetivos.

O resultado do projeto deu origem a um Catálogo de Boas Práticas do RoboBraille.

O projeto foi apoiado pela Comissão Europeia no âmbito do programa Leonardo da Vinci, parte do programa de Aprendizagem ao Longo da Vida.